Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
8/04/24 às 16h41 - Atualizado em 8/04/24 às 16h43

Programa Prospera movimenta mais de R$ 1,4 milhão em microcrédito para empresas

 

Em 2024, já foram 56 contratos para linhas de apoio que impulsionam negócios e criam novos empregos no Distrito Federal


As linhas de apoio financeiro tiveram uma procura alta entre os adultos | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

 

Ao longo dos três primeiros meses de 2024, o Governo do Distrito Federal (GDF) liberou mais de R$ 1,4 milhão em crédito para micro e pequenos empreendedores por meio do programa de crédito Prospera. Nesse período, foram aprovados 55 contratos urbanos e um rural.

 

Entre as áreas mais atendidas desde janeiro estão agricultura, artesanato, comércio, indústria, pecuária e serviços. As linhas de apoio financeiro tiveram uma procura alta entre os adultos, segundo balanço da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet-DF).

 

De acordo com o secretário da pasta, Thales Mendes, o Prospera oferece um diferencial que vai além da linha de crédito e engloba também o assessoramento, um auxílio financeiro orientado por agentes de crédito e acompanhado por especialistas. “O objetivo do programa é ajudar as pessoas que buscam empreender e que necessitam de crédito barato e flexibilização de prazos, além de apoiar os sonhos dos pequenos empreendedores, acompanhando-os passo a passo e ensinando-os a manter os pés no chão”, declarou.

Um diferencial comprovado pela microempresária Juliana Rabelo, 39, que é fotógrafa há oito anos e foi beneficiada com crédito do programa. Com os recursos, ela conseguiu montar seu próprio estúdio de fotografia.

 

Thales Mendes: “O objetivo do programa é ajudar as pessoas que buscam empreender” | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

 

Especialista em ensaios com recém-nascidos, Juliana começou no ramo fotografando a filha caçula, em 2014. Logo, amigos se interessaram e ela começou a formar uma rede de clientes. No começo, ela ia de casa em casa, carregando seu miniestúdio.

 

Contudo, o cansaço e uma má gestão financeira obrigaram a fotografa a dar uma pausa em seu sonho, que se renovou em 2022 com o Prospera. O programa forneceu crédito para que Juliana pudesse investir em um novo equipamento de trabalho, visto que a câmera que ela utilizava antes havia quebrado. Com novos financiamentos e rendimentos à vista, a fotógrafa pode alavancar a carreira e conseguir se estabilizar cada vez mais no mercado.

 

“Fui super bem-atendida e acolhida, me passaram todas as informações, o valor que eu iria conseguir e foi coisa rápida conseguir o crédito. Eles dão muitos conselhos para a gente, coisas que o empreendedor precisa ouvir, que às vezes ninguém nunca falou. Abriu muito a minha mente”, detalhou Juliana. A fotógrafa também destacou a ajuda do Sebrae, que forneceu uma consultoria gratuita de gestão financeira da empresa.

 

 

Juliana Rabelo: “Eles dão muitos conselhos para a gente, coisas que o empreendedor precisa ouvir, que às vezes ninguém nunca falou” | Fotos: Tony Oliveira/Agência Brasília

“Me ajudou a reconstruir, porque eu tinha acabado de abrir o MEI, então em nenhum lugar eu consegui o financiamento, foi um grande diferencial. Sem esse crédito, eu não estaria aqui hoje. Todas essas coisas contribuíram para a minha empresa e graças ao Prospera hoje sou uma micro empreendedora de sucesso”, acrescentou.

 

Economia que gira

Juliana já ganhou prêmios de Fotografia Newborn e, no último ano, a retratista chegou a fazer 285 ensaios de gestantes e recém-nascidos. Atualmente, mais sete pessoas trabalham na empresa de fotografia junto a ela.

 

“É uma economia que gira, não fica só comigo. São famílias que vivem com o dinheiro aqui do estúdio e nossa renda vem toda daqui. É como pago as contas, a escola dos meus filhos, os gastos com energia, as compras. Então, é uma economia que gira e gira muito”, ressaltou.

 

O público-alvo do programa são micro e pequenos empreendedores dos setores formal e informal da economia, como feirantes, artesãos, trabalhadores autônomos, microempreendedores individuais (MEI), cooperativas de trabalho e produção.

 

No caso de produtores rurais, o interessado deve procurar o escritório regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) em que está localizada sua propriedade para ter acesso a informações detalhadas sobre as condições do empréstimo.

 

Entre os pré-requisitos para participar do programa estão ter mais de 18 anos, possuir um empreendimento no Distrito Federal, não ter restrições no Serasa e Fazenda Pública do Distrito Federal.

 

Também é necessário apresentar garantias, que pode ser formar grupo solidário de no mínimo 3 e máximo 5 integrantes ou, caso a opção seja por crédito individual, o tomador deve providenciar avalista com renda de no mínimo três vezes o valor da prestação do empréstimo.

Governo do Distrito Federal